O Cariri visto de baixo: movimentos camponeses em tempo de seca, fome, epidemia e recrutamento no Primeiro Reinado

Resumo: Este artigo estuda as ações e experiências da população camponesa do Cariri Cearense, chamada cabra, destacando que elas devem ser encaradas como  movimento  de  reação  racional  de  uma  população  fragilizada,  em  um ambiente  frequentemente  hostil  pela  ocorrência  de  secas  prolongadas  e  a epidemia  de varíola  frente  à  luta  pelo  acesso  à  terra  e  a  melhores  condições de vida. Visto de baixo, o Cariri de terras verdes e férteis pela presença de ca-naviais e da Serra do Araripe, se tornou um ambiente árido na perspectiva dos camponeses. A seca dos anos de 1825, 1826 e 1827, seguida pela fome e pela epidemia  de varíola,  e  o  recrutamento  para  a  guerra  da  Cisplatina,  em  1828, atingiu  em  cheio  as  populações  camponesas  da  região,  cuja  reação  política foi  expressa  na  adesão  à  Revolta  do  Pinto  Madeira.  Nesse  processo,  a  reação dos camponeses foi usada pela elite senhorial para destacá-los como grupos perigosos, fanáticos, anárquicos.

 

Palavras-chave:História do Brasil. Seca. Epidemia. Movimentos camponeses

Laboratório de Pesquisa em História Social - LABORE 

Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente - NEHSA 

Brasil, Estado do Ceará

Contato: historiasertoes@gmail.com

© Desde 2017